Sobre nós


Histórico

No dia 08 de agosto 1988, um sonho saía do pensamento da professora Angela tornando-se realidade. Ela só queria ser professora, mas Deus queria mais e lhe deu uma escola para dirigir. Duas pessoas foram extremamente importantes neste começo: a vó Elza, mãe da professora Angela, que foi pela vizinhança anunciar a nova escola no bairro e tio Francisco, marido da tia Angela, dando total apoio, ao permitir que a casa em que moravam se transformasse em salas de aula.
O lugar que era casa/escola foi ficando pequeno para abrigar tantos alunos empenhados em diversas atividades.
Toda estrutura daquela casa foi sendo modificada para suportar o crescimento. Até que foi necessária a aquisição de uma nova propriedade para que a Educação Infantil se acomodasse melhor.
Centenas de alunos passaram por aqui e marcaram com suas histórias e experiências. Eles dançaram, cantaram, apresentaram seus trabalhos, se formaram e muitos nos dão orgulho ao voltar e contar novas histórias de vida. Alguns voltaram e matricularam seus filhos aqui e outros voltaram para fazer parte do nosso quadro de funcionários.
Outros personagens fizeram e fazem parte dessa história: os professores e funcionários que escreveram e escrevem com inspiração belas palavras registrando uma história real.
Dentro dessa história, pais e responsáveis são fundamentais pois entregaram a essa instituição, a educação escolar de seus filhos. Eles estiveram e estão presentes nas festas e reuniões incentivando os filhos em suas atividades.
A família da professora Angela também tem se dedicado para que o Colégio Nascimento cresça, pois Deus tem usado o talento de cada um para que esse projeto continue. A vó Elza Ele usou para orar e acompanhar todos os dias até o dia 20 de fevereiro de 2011, data em que foi levada aos céus.
Não há como negar que é Deus, quem merece toda gratidão por esses 30 anos de existência. Ele tem concedido vitória e renovado as forças mentais e físicas de cada um que garante o melhor para os alunos.

"Até aqui nos ajudou o Senhor". (I Samuel7:12b)

A Ele a honra, a glória e toda a adoração!

1 - Fins e objetivos do Projeto Político-Pedagógico:

· Missão

Proporcionar ao educando a formação necessária ao desenvolvimento de suas potencialidades para sua auto realização, respeitando sua individualidade e ampliando seu potencial interpessoal, através de uma pedagogia inovadora, contribuindo para a formação de cidadãos éticos e solidários, capazes de construir conhecimento e responder criativamente aos novos desafios do mundo, preparando para o exercício consciente da cidadania e prosseguimento de estudos, observando as determinações da Lei vigente e demais disposições legais atinentes.

· Visão

Ser uma escola com um diferencial em humanização, em aliança com as famílias, preparando uma nova geração para cumprir seu propósito na vida, com ensino e cultura que integre toda a comunidade escolar, oferecendo uma educação de qualidade e contribuindo na formação de lideranças capazes de cooperar na formação de uma sociedade justa e fraterna adquirindo lucratividade.

· Valores

Ética

Preservamos o respeito e a confiança em nossos relacionamentos e marcamos nossos atos pela transparência. Partimos do princípio de que só há desenvolvimento com ética.

  • Agimos em todas as circunstâncias com responsabilidade, retidão, integridade, honestidade e senso de justiça.
  • Respeitamos a individualidade, dignidade e privacidade de todos, valorizamos a diversidade e repudiamos qualquer forma de discriminação.
  • Temos compromisso vital com os direitos humanos de todos os participantes de nossa cadeia de relacionamentos.
  • Construímos um ambiente de trabalho marcado por respeito, pluralidade de pensamentos, diálogo e capacidade de se colocar no lugar do outro.
  • Estabelecemos e mantemos nossos relacionamentos com respeito, confiança e transparência
  • Zelamos pela discrição e pelo sigilo no tratamento das informações utilizadas nas atividades dentro do ambiente escolar.

Princípios

Baseamos nos princípios de caráter, mordomia, autogoverno, semear e colher, soberania, individualidade e união ou pacto, princípios bíblicos que trarão um grande diferencial para o aprendizado do aluno.

· - Concepção de criança, de desenvolvimento infantil e aprendizagem:

O período que se estende da gestação até os seis anos de idade é considerado o mais importante para o desenvolvimento da criança, pois é nessa fase que a criança estabelecerá suas conexões com o mundo, corroborando esta afirmativa Antunes (2006, p. 9) declara que a criança "precisa desenvolver-se plenamente nos aspectos físico, psicológico, intelectual e social, por meio de uma educação bem estruturada que atenda às necessidades da criança", porém essa relevância não foi sempre considerada ou mesmo conhecida, pois durante muito tempo a criança não era reconhecida como um ser que precisava de cuidados e educação específicos para a sua faixa etária e para cada fase do seu desenvolvimento.

Segundo Piaget, o desenvolvimento cognitivo dar-se-á através de estágios, momentos em que o indivíduo adquire maturidade desde o nascimento à vida adulta estando em constante transformação.

Em linhas gerais, Piaget (1974) esquematiza o desenvolvimento intelectual nos seguintes estágios: Sensório-motor (0 a 2 anos) que corresponde o estágio inicial, que vai do nascimento até os dois anos de vida, momento em que a criança já tem uma percepção do ambiente e age sobre ele. Faz-se necessário uma estimulação ambiental para que o bebê obtenha reflexões das imagens e com isso já passe a coordená-las.

O segundo estágio (2 aos 6 anos) chamado de Pré-operacional, momento em que a criança começa a desenvolver a capacidade simbólica. Neste período o que de mais importante acontece é o aparecimento da linguagem, que irá acarretar modificações nos aspectos intelectual, afetivo e social da criança. É importante ainda considerar que neste período a maturação neurofisiológica completa-se permitindo o desenvolvimento de novas habilidades, como a coordenação motora fina, onde a criança já consegue fazer alguns movimentos exigidos pela escrita.

A história da Educação Infantil tem revelado que as crianças em desenvolvimento não mais ocupam um lugar desconhecido, mas sua relevância tem sido cada vez mais compreendida, ao perceber-se que é na infância que se desenvolvem as características mais importantes para o equilíbrio e inteligência do adulto.

A importância da Educação Infantil é comprovada pelo interesse que vem ganhando ao longo da história, e sua eficácia é garantida pela combinação dos seguintes fatores: consideração as características da criança, ambiente adequado a cada fase do seu desenvolvimento, profissionais preparados, socialização com indivíduos semelhantes e estímulo à criança.

A criança precisa de assistência, cuidado e consequentemente de educação dirigida, que lhe possibilite um amplo desenvolvimento de suas faculdades mentais e físicas, contudo a educação familiar aliada à escolar permitirá que a criança ultrapasse as diversas transformações que ocorrerá ao longo de sua vida, de forma equilibrada e sadia.

2.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - A Educação Infantil está de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e pela Resolução CNE/CEB n° 6/2010

Campo das experiências - Traço, sons, cores e formas

BNCC

Turmas

Faixa etária

Material Didático

Explorar sons produzidos com o próprio corpo e com objetos do ambiente

Bebês

Berçário I

Duração: (6 meses)

1 ano até 1 ano e 6 meses

Apostila adequada a faixa etária

*Não está incluso a agenda escolar

Berçário I e II

Criar sons com materiais, objetos e instrumentos musicais, para acompanhar diversos ritmos de música

Crianças bem pequenas

Berçário II

Duração (6 meses)

1 ano e 7 meses até 1 ano e 11 meses

Maternal I

2 anos até 2 anos e 11 meses

Livros Integrantes do Sucesso Sistema de Ensino

*Incluso a agenda escolar

Edição atualizada conforme a BNCC

Maternal II

3 anos até 3 anos e 11 meses

Utilizar sons produzidos por materiais, objetos e instrumentos musicais durante brincadeiras de faz de conta, encenações, criações musicais, festas.

Crianças pequenas

Pré I

4 anos até 4 anos e 11 meses

Pré II

5 anos até 5 anos e 11 meses

"Para o ingresso nas crianças pequenas (Pré I), a criança deverá ter idade de 4 (quatro) anos completos até o dia 31 de março do ano que ocorrer a matrícula". Res. CNE/CEB n° 6/2010.

Métodos adotados na Educação Infantil: Tradicional e Construtivista, predominando o tradicional.

Tradicional: Consiste, basicamente, no ensino centrado na figura do professor, em uma relação vertical de exposição de conhecimentos e cobrança de conteúdo.

Construtivista: coloca o aluno no centro do processo de aprendizado, desempenhando um papel ativo ao buscar conhecimento na medida em que interesses e questionamentos surgem.

Ambiente: mobília adequada, salas com ventilador e ar-condicionado, áreas arejadas, com boa iluminação e quadra esportiva.

Objetivos: Agir com a criança em sua individualidade.

Nessa fase a criança absorve muito as informações, ou seja, é uma fase de aprendizado intenso, aumento diário de vocabulário, novas descobertas e curiosidade aguçada. Devido a isso trabalhamos com os dois métodos, numa forma diferenciada.

Formatura: Os alunos ao final da Ed. Infantil (Pré II), participam de uma linda formatura para no próximo ano ingressarem no Ensino Fundamental 1.

Professoras: Além da professora da turma, temos para uma professora de Ed. Física preparada para trabalhar sua área em específico.

· - Ensino Fundamental

"A educação básica neste Estabelecimento de Ensino está organizada em séries anuais, com base na idade, na competência e outros critérios, ou por forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo de aprendizagem assim o recomendar".

Já em relação ao objetivo do Ensino Fundamental perante a formação do cidadão o art. 32 determina que:

"I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores;
IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social."

O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão.

De acordo com o art. 2º da resolução CNE/CEB nº 3/05, a organização do Ensino Fundamental de 9 (nove) anos e da Educação Infantil poderá ser a seguinte:

Etapa de ensino

Faixa etária prevista

Duração

Ensino Fundamental

Anos Iniciais
Anos Finais

até 14 anos

de 6 a 10 anos

de 11 a 14 anos

9 anos


5 anos
4 anos

Portanto, a implantação dos nove anos não pode constituir-se de uma medida meramente administrativa, ela deve alavancar mudanças em termos estruturais e na cultura escolar. Não é transferir turmas e sim assegurar a todas as crianças um tempo mais longo de convívio escolar, mais oportunidades de aprender e consequentemente uma aprendizagem mais ampla. Em resumo a implantação de uma nova política pública para a educação requer uma virada paradigmática garantindo as condições de acesso, permanência, conclusão e sucesso escolar, e não apenas o acréscimo de crianças de seis anos no ensino obrigatório.

ENSINO FUNDAMENTAL (1º SEGMENTO) - O Ensino Fundamental está de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e pela Resolução CNE/CEB n° 6/2010

"Para o ingresso 1° ano Ensino Fundamental, a criança deverá ter idade de 6 (seis) anos completos até o dia 31 de março do ano que ocorrer a matrícula". Res. CNE/CEB n° 6/2010.

Métodos adotados no Ensino Fundamental 1 e 2: Tradicional e Construtivista, predominando o tradicional.

Formatura: Os alunos ao final do 1° segmento (5° ano) e ao final do 2° segmento (9° ano), participam de uma linda formatura para no próximo ano ingressarem no Ensino Fundamental 2.

Há jogos para o 4° e 5° ano como Totó, Tamancobol e AeroHockey e cantina com lanches variados (1° ao 5°)

O Técnico em Informática formado pelo Colégio Nascimento recebe uma formação teórico ­prática completa, com base nas necessidades do mercado e em consonância com o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos do Ministério da Educação.

Profissional com sólida base de conhecimentos tecnológicos, capacidade gerencial e de adaptação a novas situações, postura ética pessoal e profissional, constituem o perfil do nosso aluno, o que lhe permite estar atento aos avanços tecnológicos, proporcionando a permanência no mercado de trabalho e o acesso a novos desafios. Ao término do curso o profissional estará apto a desenvolver as atividades de criação de um projeto de automação comercial com ênfase em uma linguagem de programação orientada a objetos. A nossa marca vem se consolidando ao longo dos anos também no segmento da formação profissional. Já temos parceria com a Fundação MUDES e com o CIEE, sendo estas duas empresas, as instituições mais conceituadas no Brasil em termos de inserção de alunos em estágio.

Nossa escola possui ainda o convênio com a PETROBRAS para oferta de estágios, o que oportuniza aos nossos alunos maiores possibilidades para concluir o processo de formação profissional. O Técnico em informática é capaz de realizar atividades de suporte e manutenção de sistemas, incluindo hardware e software, sendo por vezes empregado na área de treinamento de pessoal. Disciplinas como Linguagem de programação (I, II e III), Arquitetura de banco de dados, Montagem e manutenção de computadores, Introdução à informática, Aplicativos comerciais, Análise de sistemas, Análise e suporte e Redes de computadores permitem aprofundar os estudos e a pesquisa para criação de um projeto final que aproxima a formação acadêmica da prática profissional.

Nosso curso conta ainda com o diferencial do inglês técnico, disciplina importante para acesso aos manuais e softwares em inglês. Quanto ao mercado de trabalho, o profissional de informática encontra colocação profissional em:

  • Escritórios de empresas públicas e privadas;
  • Lojas especializadas em produtos tecnológicos;
  • Indústria;
  • Escolas e cursos;
  • Lan house;
  • Empresas de desenvolvimento de soluções em informática;
  • Área Militar (Concurso específico para Técnicos em Informática);

Como autônomo, pode ainda prestar serviço de manutenção de computadores e redes e criação de sistemas.

Participar da construção de sistemas a partir de uma documentação previamente elaborada pelo Analista de Sistemas, podendo inclusive, contribuir na concepção e no desenho do mesmo.

· Elaborar manuais de instalação e operação de programas para computador.

· Elaborar listas para compra de equipamentos e suprimentos de Informática.

· Dar suporte ao usuário, implantando aplicativos e utilitários, tirando dúvidas e orientando a utilização de aplicativos.

· Instalar, operar e dar manutenção em redes locais de computadores de pequeno e médio porte.

· Montar um computador pessoal, instalando e configurando todos os componentes de software e hardware;

· Lecionar cursos de aplicativos e sistemas operacionais a pessoas interessadas em operar o computador;

· Ajudar na integração do computador com a Internet e os seus serviços.

· - Características da população a ser atendida e da comunidade na qual se insere:

· - Instituição

O Jardim Escola Bons Amigos LTDA é uma instituição particular, situada na rua Nova Era, esquina com a rua do Ábio s/n, Lote 12, quadra 3, Campo Grande, no município do Rio de Janeiro e sua sede situada na rua Nova Era n° 75, Campo Grande, município do Rio de Janeiro. Autorizado pela portaria n° 416/E-COIE.E de 30/04/98, publicada no DO de 28/08/98, Portaria E/DGED/DRE n° 604, de 17/07/98, publicada no DO de 28/08/98 e Portaria E/DGED/DRE n° 2266, de 24/01/02, publicada no DO RJ n° 30 de 02/05/02, constitui uma Instituição baseada no direito da livre associação e de livre iniciativa.

· - Característica da população atingida

A população atingida engloba da classe baixa à classe média e não somente no bairro que se insere a escola, mas bairros adjacentes.

· - Regime de funcionamento

Nossa Instituição funciona em diferentes horários:

Parcial: Aquele em que o aluno frequenta um dos turnos de funcionamento.

1° turno: 7:45/11:45

2° turno: 12:45/16:45

Ampliado: Aquele em que o aluno frequenta um dos turnos e amplia a sua permanência no estabelecimento, sem, no entanto, completar o horário do outro turno.

Integral: Aquele em que o aluno frequenta o horário correspondente aos dois turnos de funcionamento.

Horário: 7h/18:45

· - Espaço físico

Nossa Instituição compreende de dois prédios: a Matriz localizada na rua Nova Era n° 75, Campo Grande - RJ e a Filial que equivale a este projeto Político Pedagógico.

Nossa Filial compreende de 8 salas da Educação Infantil ao Ensino Fundamental

Instalações:

  • 1 pátio, 1 parquinho, 4 banheiros, 3 salas e 1 secretaria no 1° andar.
  • 1 refeitório, 3 salas, 1 cozinha, 1 cantina, 2 duchas para banho e 1 banheiro no 2° andar.
  • 2 salas, 1 sala de professores, 1 banheiro, 1 almoxarifado e 1 mini quadra.

Recursos Técnicos:

  • 1 Xerox
  • 2 Televisores
  • 2 DVDs
  • 1 Datashow
  • Kits pedagógicos
  • Jogos de montar
  • Livros de histórias infantis
  • Fantoches
  • Micro system
  • Caixa de som
  • Microfone
  • Brinquedos de montar
  • Computador
  • Câmeras nas salas e pátio

· - Organograma

7 - Organização de trabalho - Educação Infantil

Nosso trabalho com a Educação Infantil será de acordo com cada horário.

Parcial:

OBJETIVOS GERAIS: Ter o Conhecimento de Mundo, Formação Pessoal e Social, Movimento, Música Artes Visuais, Linguagem Oral e Escrita, Natureza e Sociedade, Matemática, Identidade e Autonomia

· - Avaliação

A avaliação é realizada por meio da observação e do acompanhamento do desenvolvimento integral da criança, em resposta aos cuidados e à educação. Não tem o objetivo de promoção para o acesso ao Ensino Fundamental, sendo a criança promovida automaticamente ao final do ano letivo.

O resultado da avaliação da criança é expresso e registrado em relatório individual a ser apresentado ao seu responsável, semestralmente quando se fizer necessário.

EIXO DE TRABALHO

Movimento - O movimento é uma importante dimensão do desenvolvimento e da cultura humana. As crianças, desde que nascem, movimentam-se do controle e da interação do seu próprio corpo com o mundo. Ao movimentar-se, elas expressam sentimentos, emoções e pensamentos, utilizando-se de gestos e posturas corporais. Portanto, quando mais rico e desafiador for esse ambiente, mas ele possibilitar às crianças a ampliação de conhecimento acerca de si mesmas, das outras e do meio em que vivem.

Artes Visuais - As artes visuais são linguagens que estão presentes no cotidiano da vida infantil. Em muitas propostas, as práticas de artes visuais são entendidas como meros passatempos, destituídas de significados. No entanto, ao rabiscar, desenhar, pintar, colar, etc., a criança pode utilizar-se delas para expressar, comunicar e atribuir sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade. As atividades em Artes Visuais indicam às crianças as possibilidades de transformação, reutilização, construção e criação.

Linguagem Oral e Escrita - O aprendizado da linguagem oral e escrita é um dos elementos importantes para as crianças ampliarem suas possibilidades de inserção e de participação nas diversas práticas sociais. A linguagem contribui para a formação do sujeito em sua interação com o outro, na construção de muitos conhecimentos e no desenvolvimento do pensamento. Aprender uma língua é entender, interpretar e representar os significados das palavras de acordo com o meio sociocultural. 11 Natureza e Sociedade De acordo com o RCN, neste eixo de trabalho, ocorre a interação da criança com o meio natural e social, respeitando diferenças, especificidades, abordagens e enfoques do campo da ciência humana e natural. O Trabalho com este eixo deve propiciar experiências que possibilitem uma aproximação ao conhecimento das diversas formas de representação e explicação do mundo social e natural, para que as crianças possam estabelecer, progressivamente, a diferenciação entre as explicações do senso comum e do conhecimento científico. Baseada nestas idéias, a proposta do MDP oportuniza ás crianças que ampliem suas experiências, favorecendo a construção do conhecimento sobre o mundo social e natural; formulem perguntas, confrontem idéias, busquem soluções para que, posteriormente e gradativamente, possam compará-las com aquelas que a ciências propõem e, ainda, possam explorar e estabelecer relações com o ambiente e as diferentes formas de vida. O material apresenta atividades variadas a respeito dos conhecimentos sociais e naturais, sem privilegiar estereótipos culturais.

Matemática - O ensino de Matemática na Educação Infantil vem sendo sustentado pela ideia de que as crianças aprendem Matemática através da repetição, memorização e de uma sequência linear dos conteúdos. O conhecimento prévio do aluno, isto é, proveniente de sua experiência pessoal é desconsiderado. Os conteúdos de Matemática aparecem de forma integrada, embora eles se subdividam em três blocos: * Números e sistema de numeração: envolvem contagem, escritas numéricas e operações matemáticas. * Grandezas e medidas: envolvem a comparação das grandezas e a introdução às noções de medida. * Espaço e forma: envolvem as relações espaciais e as propriedades geométricas.

IDENTIDADE E AUTONOMIA - O eixo identidade e autonomia está relacionado aos processo de socialização da criança. As instituições de Educação Infantil devem oferecer um ambiente favorável para que se desenvolva este eixo, pois a criança terá oportunidade de se relacionar com outras crianças de diferentes origens socioculturais, religiões, etnias, costumes e valores. A identidade da criança é construída gradativamente, por meio das interações sociais que ela vai desenvolvendo. No início, a família é considerada a matriz da socialização, pois é o primeiro círculo de relações da criança. Neste espaço, ela verá que possui um nome e características físicas próprias e que esses aspectos a diferem das outras pessoas. Baseada na observação, a criança vai conhecendo a sim e aos outros. A maneira como cada um vê a si próprio depende também do modo como é visto pelos outros.

· - Organização de trabalho - Ensino Fundamental

Avaliação

Os resultados bimestrais e finais da avaliação do rendimento escolar no Ensino Fundamental são expressos por meios de notas, que variam numa escala de zero a dez. A média final é o somatório dos 4 bimestres dividido por 4 equivalendo o valor igual ou maior que 6,0 e frequência mínima de 75%.

Recuperação

A recuperação é oferecida nas seguintes formas:

I - Contínua, inserida no processo de ensino e de aprendizagem, no decorrer do período letivo, assim que identificado o baixo rendimento do aluno;

II - Recuperação Paralela, realizado ao longo do ano letivo, para que tenham a oportunidade de dominar os conteúdos ainda não assimilados e dar continuidade ao processo de aprendizagem.

III - Final, realizada após o término do ano letivo, para o aluno que não obteve aproveitamento suficiente em até três componentes curriculares.

· - Atividades propostas envolvendo alunos, família e comunidade

  • Feira de ciência/ Pedagógica
  • Passeios escolares
  • Recital
  • Festas (da Roça, da Primavera)
  • Formaturas
  • Festa dos aniversariantes
  • Festas (mães, Pais, avós)
  • Comemorações das datas comemorativas com exceção das religiosas
  • Feiras pedagógicas
  • Olimpíadas
  • Festas das Crianças
  • Projetos pedagógicos

· - Apoio à Aprendizagem

A equipe de apoio à aprendizagem é constituída por profissionais devidamente habilitados de acordo com os critérios estabelecidos pela deliberação E/CME Nº24, DE 03 de dezembro de 2012. Essa equipe que irá elaborar o plano Educacional Individualizado.

· - Público Alvo

Educação Especial: aqueles que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Deficiência Física - alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções;

Deficiência Auditiva - perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis dB) ou mais, aferida por audiograma nas frequências de 500HZ, 1.000HZ, 2.000Hz e 3.000Hz;

Deficiência Visual - cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor 24 olho, com a melhor correção óptica; a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; os casos nos quais a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60o; ou a ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores;

Deficiência Intelectual - funcionamento intelectual significativamente inferior média, com manifestação antes dos dezoito anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, tais como: comunicação, cuidado pessoal, habilidades sociais, utilização dos recursos da comunidade, saúde e segurança, habilidades acadêmicas, lazer e trabalho.

Deficiência múltipla - associação de duas ou mais deficiências. Alunos com transtornos globais de desenvolvimento: aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuro psicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação, ou estereotipias motoras. Incluem-se nessa definição alunos com autismo clássico, Síndrome de Asperger, síndrome de Rett, transtornos desintegrativo da infância (psicose) e transtornos invasivos sem outra especificação.

Alunos com altas habilidades/superlotação: aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, acadêmica, liderança, psicomotora, artes e criatividades ações colaborativas nos casos que implicam em transtornos funcionais específicos, a educação especial atua de forma articulada com o ensino comum, orientando para o atendimento às necessidades educacionais especiais desses alunos no contexto escolar.

· - Atribuições da equipe de Apoio à Aprendizagem (Psicopedagogo, Fonoaudiólogo)

I - Realizar Triagens e avaliações processuais e interventivas, acompanhando os alunos que devem participar do programa de intervenção.

II - Apoiar e subsidiar o corpo docente auxiliando-o a desenvolver estratégias educacionais que atendam às diferentes necessidades dos alunos no contexto escolar.

III - Sensibilizar as famílias para maior participação no processo avaliativo e interventivo, tornando-as corresponsáveis no desenvolvimento e aprendizagem dos alunos.

IV - Contribuir para a reflexão da práxis pedagógica no contexto escolar.

REFERÊNCIAS

ANTUNES, C. Educação infantil: prioridade imprescindível. Petrópolis: Vozes, 2004.

ARIÈS, P. Historia Social da criança e da família. 2 ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BALDWIN, A. L. Teorias do desenvolvimento da criança. São Paulo: Pioneira, 1973.

FERRARI, M. Friedrich Froebel: o formador das crianças pequenas. Revista Nova Escola. Edição Especial: Compilação dos volumes 1 e 2 dos Grandes Pensadores, jul. 2008. Disponível em: <https://revistaescola.abril.com.br/educacao-infantil/4-a-6-anos/formador-criancas-pequenas-422947.shtml?page=2>. Acesso em: 06 fev. 2011.

FREUD, S. Três ensaios sobre a sexualidade. Rio de Janeiro: Editora Imago, 1973.

HERMIDA, J. F. (org.) Educação Infantil: políticas e fundamentos. 1 ed. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2007.

HEIDRICH, G. Educação Infantil no Brasil: cem anos de espera. Revista Nova Escola, mar.2010. Disponível em: < https://revistaescola.abril.com.br/educacao-infantil/educacao-infantil-no-brasil/educação-infantil-brasil-cem-anos-espera-540838.shtml?page=1>.Acesso em 06 fev. 2011

MUSSEN, P. H. O desenvolvimento psicológico da criança. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1982.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1974

KUHLMANN JR., M. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação- Anped. Campinas: Autores Associados. nº. 14, p. 5-18. mai/jun./jul./Ago. 2000.